quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Post repetitivo II

À semelhança do que os restantes 134.856.258.455.987.000 bloggers já postaram hoje, venho apenas dizer-vos que estou feliz porque amanhã é FERIADO!


Vou passá-lo a trabalhar que nem uma moura (a minha secretária está a abarrotar de papéis), mas ao menos estarei na minha casa, longe de pessoas, telefones e e-mails. Não vou ter que ouvir gente chata, explicar 2 ou 3 vezes a mesma coisa a gente mais chata ainda e, sobretudo, vou poder dormiiiiiiiiiir!

E agora vou-me embora, porque os "macaquinhos" (a.k.a. formandos) já saíram e eu vou para casa jantar e vegetar. Chega de pensar por hoje. O meu cérebro acaba de entrar em modo de hibernação, sendo que a condução até casa será feita em piloto automático.


Separados à nascença


Credo! Até me arrepiei com tanta semelhança... (starting by the brain).

Apetecia-me algo...

... e acho que este menino dava conta do serviço na perfeição...

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Já vos disse...

... que odeio palhaços?!


Urgh! 

domingo, 27 de novembro de 2011

Circo de Natal

Hoje reservei a tarde para a pequenada.
Há circo no Coliseu e lá vamos nós todos em excursão.


Só espero ficar sentada num sítio bem longe dos malditos dos palhaços para não correr o risco de algum de aproximar de mim. Criatura horrorosa nojenta!
Ai, os sacrifícios que uma Madrinha faz...!


PS - Se notarem que a minha ausência é demasiado prolongada, é favor chamar as autoridades. Posso ter sido raptada por um desses bichos repugnantes de nariz vermelho e sapatos gigantes.


sábado, 26 de novembro de 2011

Pérola II

Juiz: "E a sua mulher, trabalha?"
Arguido: "Ela é doméstica em casa, senhô."

Em casa deles. Porque podia ser fora. Em casa de outros. Enfim...

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

A propósito...

... do post anterior e dos comentários a que deu azo.

O Zé Povinho


Personagem intemporal, desalinhado em energia, na retórica e na postura, o Zé Povinho desenha-se no traço grosseiro da robustez que caricatura o nosso colectivo.

Rindo ou gesticulando em descaramentos, intervém ora vitimizando-se e submetendo-se, ora como alerta de consciências não libertas de preconceitos. Entre a boémia e o laicismo, a actualidade de Seu Zé Povinho não se esgota naquilo que configura a sua personalidade popular, pelo contrário transborda da tipificação para a excelência do pretexto que aponta ao comentário e à critica. Não poupando nada, nem ninguém, não se contém em sarcasmos perante os factos políticos sociais e institucionais. 

A sua intervenção opinativa na vida do país revela-se miticamente como reflexo de desejos, sentimentos e necessidades que se descobrem pela praxis. Controversa e metafórica, a figura do Zé Povinho cresce na ambiguidade que se joga entre o cinismo social e a revolta genuína. Decorre da impotência que se denuncia no manguito e que exorciza com a sabedoria popular o acto de cruzar os braços. 

De apelido Povinho, diminutivo de todos nós, Seu Zé nasce com respeito contraditório do que está para além de senhor (Seu) e do que está aquém do diminutivo dobrado (Zé e Povinho). Rapidamente se torna familiar perdendo o trato deferente e incorporando o todo das características tipificadoras das gentes portuguesas. Deformado e deformador impõe-se com o vigor que o eco da popularidade nacional lhe confere. Com argúcia desvenda a injustiça e o grotesco, mas é no entanto com paciência e submissão que digere o seu próprio destino. 


Retirado daqui.


Na caderneta do(a) aluno(a), lia-se...


Olhe, desculpe lá, Sra. Professora! Tenha dó da pobre criança, que anda tão cansadita! É que isto de não fazer nada durante o horário escolar a não ser rabiscos no caderno e ficar a olhar para o quadro como um burro para um palácio e ainda chegar a casa e ter que ver os Morangos com Açúcar e falar com as amiguinhas no MSN não é vida fácil. Se não for pela "piquena", que o seja pela pobre mãe (que aposto que é gorda que nem uma porca, não trabalha, tem a casa cheia de esterco e passa os dias na porta a enredear com as vizinhas), que também anda cansada (não deve ser fácil arrastar 120 kg da cama para o sofá e do sofá até casa da vizinha para pedir um raminho de salsa e "já agora" tomar um cafezinho)!

Além disso tenha em consideração que a senhora é "doente dos nêrves" e a assistente social que lhe trata do rendimento social de inserção, vendo o seu estado de ansiedade (que ardores no peito são aqueles, minha Nossa Senhora?!) até teve que lhe arranjar uma consulta na médica de família que, por sua vez, lhe disse que além do "castrol" elevado, ela ainda tem a tensão alta e, por isso, não se pode aponquentar por nada deste mundo (nem para tomar conta dos 10 filhos, nem para limpar a casa e muito menos para cozinhar para o marido que todos os dias vem do trabalho e espera que o jantar esteja pronto, vejam lá que insensível!).

Tenha paciência, Sra. Professora! Agora mandar TPC todos os dias! Veja lá que a senhora até percebe de leis e tudo e já "correu os seus direitos", por isso sabe que as crianças não são obrigadas a cumprir com esse seu regime ditatorial!

Esta país vai mal. Ai, vai, vai! Com professores destes... Tssstssstsss...


Nota: Juro que não estou a pensar em nenhuma família que conheço, juro... (fingers crossed)


quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Só uma pérolazita...

... para animar o vosso dia.

Juiz: "O que é que a sua esposa faz?"
Arguido: "É electrodoméstica, Sr. Dr."

(silêncio ensurdecedor)

Overwhelmed

É... não tem dado.
Não estou a conseguir.
Estou a dar em maluquinha.
Too much stuff going on!


Já vos tinha dito aqui que precisava muito que o meu dia tivesse mais horas, mas acredito que esse seja um desejo que o Pai Natal não me vai conceder... Desde logo porque deve receber 1000.000.000.000.000 de pedidos iguais ao meu.

Acreditam que já nem me lembro da última vez que passei por aqui? Vim cá agora só por um bocadinho, para informar os interessados que estou viva (não sei por quanto tempo mais), mas não era suposto... É que estou a meio de uma coisa... assim... digamos... muito interessante (not). Como ninguém vê e ninguém sabe, rentabilizo o meu tempo. Ah, pois é, que eu sou uma mulher despachada! Multitasked, diria a presunçosa que tenho à minha frente... :P

Anyway, aviso desde já que nem os vossos posts tenho conseguido ler, por isso ando meio desactualizada sobre a vida na blogosfera. Qualquer sinal de ignorância ou desconhecimento não é pura coincidência. Tenham paciência comigo. De todo o modo, neste bocadinho consegui "passar a ronda" em dois ou três sítios e soube, pelo menos, que:
- a Dreia teve por lá o raio de um anónimo (raça maldita!) a moer-lhe o juízo, embora não tenha conseguido ver a bosta que a criatura por lá deixou (depois contas-me, Dreia?).
-  a Gasper está constipadita. As melhoras, piquena!
- se não tiver muito cuidado, a AC hoje é capaz de dar um trambolhão (não sei que sapatos trazes, mas seja do tacão muito alto, seja da sola escorregadia, não será coisa boa em dia de chuva e muuuuuito vento pelas nossas bandas, sobretudo na nossa linda calçada).

Quero muito ler o resto, mas agora não posso. Gotta go! 

But... I'll be back!

(Contem-me novidades! Façam-me o resumo dos últimos capítulos, ok?)


quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Da paciência ou falta dela

Adoro dar aulas. A sério que gosto. Mesmo!


Mas há dias em que não me apetece nada ir aturar as criaturas... e ultimamente tenho tido muitos desses dias.
Quando me refiro às "criaturas" estou a falar dos meninos (meninas, porque o pobre R. está lá sozinho no meio daquelas galinhas todas) do dia, portanto, da escola profissional. Os das formações da noite já são bem crescidinhos (alguns com idade para serem meus pais), mas acho que têm menos juízo ainda. Consigo ter que chamá-los à atenção mais vezes do que com as galinhas (a.k.a., as tais alunas - e aluno! - do dia).

Vamos lá ver se a turma se vai portar bem agora nas duas horas em que vamos estar juntos... É que ultimamente só lhes apetece brincadeira (estão muuuuuito cansados.... :P) e então pedem-me não raras vezes "Professora, hoje podemos não fazer nada? Vamos falar de enredos...".
E confesso, há dias em que cedo... Shame on me!

Hoje vou lançada e com vontade de trabalhar a sério (isto para eles significa escrever até lhes doerem as mãos a valer).  Vamos lá ver se não me convencem do contrário....


terça-feira, 15 de novembro de 2011

Just shoot me already!

E porque isto aqui está assim:
Vou ter que fazer destes meninos os meus melhores amigos:


Ou isso, ou interno-me. Sintoma mais visível: faltam-me as palavras e uso imagens para me fazer entender. Isso NÃO é normal!

O Pai Natal não existe??

A propósito do que eu anunciei aqui...


E pronto! Assim se destrói o sonho de uma criança...

Na mouche!

Queria ter sido eu a escrever isto. 
Não há melhor forma de pôr as coisas...



“I've always envied people who sleep easily. Their brains must be cleaner, the floorboards of the skull well swept, all the little monsters closed up in a steamer trunk at the foot of the bed.” 



Recado


E pronto, era só isto.


segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Verdade ou mentira?

Eu quero muito acreditar nesta previsão, pois não me está nada a apetecer emigrar...

No Jornal de Notícias de hoje:

14 Novembro 2011

Ministro da Economia diz que próximo ano "irá marcar o fim da crise"


O ministro da Economia, Álvaro Santos Pereira, afirmou, esta segunda-feira, que o próximo ano "irá marcar o fim da crise" e permitirá a Portugal retomar o crescimento da economia.
Segundo afirmou, "2012 será um ano determinante para Portugal e para a economia portuguesa", pois "certamente irá marcar o fim da crise e será o ano da retoma para o crescimento de 2013 e 2014".
O ministro da Economia, Álvaro Santos Pereira, inicia hoje o debate na especialidade do Orçamento de Estado para 2012, com audições nas comissões de Orçamento e Finanças, Segurança Social e Trabalho e Economia e Obras Públicas.
O OE2012 foi aprovado na generalidade na passada sexta-feira e terá agora de passar pelas várias comissões especializadas parlamentares, com os ministros a detalhar aos deputados o que está previsto para as áreas que tutelam.
Álvaro Santos Pereira está a ser ouvido a propósito das áreas do emprego, sector que tem estado no centro das atenções nas últimas semanas, com as propostas laborais que o Governo tem estado a discutir com os parceiros na concertação social, com destaque para a permissão legislativa de as empresas aumentarem o horário de trabalho em meia hora sem o remunerar.


Post repetitivo

A blogosfera inteira deve estar a escrever a mesma conversa...
Mas eu não quero saber! Odeio segundas-feiras e pronto!


Odeio segundas-feiras.
Odeio segundas-feiras.
Odeio segundas-feiras.
Odeio segundas-feiras.
Odeio segundas-feiras.
Odeio segundas-feiras.
Odeio segundas-feiras.
(...)


domingo, 13 de novembro de 2011

Aviso: imagens chocantes!

Em resposta ao comentário feito aqui pelo nosso mais recente leitor, venho confessar um dos meus guilty pleasures.

Alerto para a necessidade de acompanhamento parental na visualização das imagens disponibilizadas e aconselho ainda àqueles mais sensíveis de estômago a fazerem-se acompanhar de um balde/alguidar para a eventualidade de não conseguirem manter os olhos no ecrã sem sentir uma necessidade premente de regurgitar os alimentos ingeridos anteriormente e actualmente em decomposição por via da actuação do suco gástrico...

Aqui está! É isto que eu sou capaz de ficar a ver durante horas: http://www.popthatzit.com/.

Yes, its desgusting!
But I like it... ;)

Esta é para o mano...

Ao meu maninho pequenino, bebézinho, mimadinho, rechonchudinho e muuuuuuito chatinho.... PARABÉNS pelo dia de hoje! 



Às 10h00 da manhã completam-se precisamente 23 anos que vieste ao mundo e mudaste o meu: deixei de ter sossego! :P Acordei e perguntei pela minha mãe. "Foi ao hospital buscar o bebé", disseram-me. "Ah, interessante (not)", respondi eu. Enfim, tive que me amanhar e levar com aquilo que me arranjaram: TU.


Que tenhas um dia muito feliz na minha companhia! :D


P.S. - Adoro-te (mas não contes a ninguém... shiuuuuu).


sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Ai, essas más-disposições...

Ganda filme...!

Matou a mãe por «razões fúteis»

E de forma premeditada, diz acusação. Luís Castanheira começou a ser julgado esta sexta-feira

Por: Redacção / PP  |  11- 11- 2011  13: 57


O tribunal colectivo e de júri suspendeu esta sexta-feira, em Coimbra, a primeira sessão do julgamento do estudante universitário acusado do homicídio da mãe adoptiva, em Setembro de 2010, naquela cidade, por indisposição do arguido.


A audiência, que será retomada às 14:00, foi suspensa cerca de hora e meia após o seu início e depois de já ter estado interrompida cerca de 15 minutos, período durante o qual o arguido, Luís Castanheira, de 23 anos de idade, foi autorizado a abandonar a sala pelas mesmas razões, escreve a Lusa.

Depois de ouvir a acusação, segundo a qual o estudante de medicina matou a médica Eugénia Madeira, na madrugada de 7 de Setembro de 2010, na sua residência, em Coimbra, por «razões fúteis» e de forma premeditada, o arguido disse, chorando, não querer «prestar declarações» ao tribunal naquele momento, por não se estar a «sentir bem».
Tem de «estar à altura do momento», exortou o juiz presidente do tribunal colectivo» e de júri, Luís Cravo.
Questionado de novo (e depois de um inspector da Polícia Judiciária (PJ) ter deposto) se queria falar, o arguido voltou a responder ao tribunal que não se sentia «capaz de prestar declarações» naquele momento, acabando, alguns minutos depois, por ser autorizado a sair da sala de audiências.
O tribunal ainda ouviu uma segunda testemunha (outro inspector da PJ), mas Luís Castanheira voltou a afirmar não conseguir prestar declarações, decidindo o tribunal suspender a audiência.
«Vínhamos preparados para ele prestar declarações», disse o advogado José Rocha Quintal, lamentando que o seu constituinte não tenha «conseguido esclarecer o tribunal sobre a acusação que lhe impende».
O arguido não falou «porque não conseguiu e não porque não quisesse», sublinhou o causídico, que falava aos jornalistas, após a suspensão da audiência, afirmando-se na expectativa de que o arguido consiga estar em condições de falar após esta interrupção.

Luís Filipe Castanheira, é acusado do homicídio da médica Eugénia Madeira, na madrugada de 7 de Setembro de 2010. 
Luís Filipe Castanheira tinha sido adoptado, ainda bebé, por Eugénia Madeira e o seu ex-marido.




Fiteiro do caraças, é o que eu digo!


quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Aiiii!

Tenho uma puta de uma dor de barriga!


Vou mas é já para casa... só que estou mesmo a ver que a tripa vai-me dar a volta de vez assim que eu me deparar com o leilão que os mestres devem ter feito. 

E ter que aspirar e limpar o pó àquilo tudo?!  Estou penando!!! :(

Muffins de Chocolate

Conforme prometido, venho aqui (embora com algum atraso) deixar-vos a receita destes meninos.

Os ingredientes são: 

- 2 ovos
- 8 colheres de sopa de leite
- 6 colheres de sopa de óleo
- 8 colheres de sopa de farinha de trigo
- 8 colheres de sopa de açúcar
- 4 colheres de sopa de chocolate em pó
- 2 colheres de café de fermento

Preparam-se assim:

Deitam-se os ingredientes pela ordem indicada num recipiente e misturam-se os mesmos com a batedeira ou um simples fuet (se não quiserem andar a sujar muita coisa).
Enchem-se as forminhas com o preparado (as quantidades indicadas dão para 12 muffins) e levam-se ao microondas por 6 minutos.

Podem deixar-se assim, simples; ou então, façam como eu e forrem-nos com uma calda de chocolate (alguns cubinhos de uma tablete de culinária e um pouquinho de natas numa tacinha e vai a derreter no microondas... voilá!), polvilhando-os depois com açúcar confeiteiro.


Os muffins em modo simples:


Os muffins em modo aprimorado:


Espero que gostem!


quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Goodbye

E foram-se embora!
A vida é bela... (suspiro)...

Fuck!

A sério! Eu já não aguento mais!
Tenho a cabeça a explodir e as entranhas a revirarem-se de irritação.



Mais um bocadinho e mando tudo para a puta que pariu!
Apre!!!

Mais comprinhas III

Eis os culpados pelo desfalque na minha conta bancária!



(Promete choro e risos - mistura explosiva para a minha pessoa...)



(Já andava curiosa há algum tempo para o ler e recusei-me a ver o filme enquanto não o tivesse feito. Já sei que depois vou apanhar uma desilusão do caraças, mas pronto...)



(Epa, isto em tempo de crise... há que cortar até na ração! 
Mas são receitas muito simples e saborosas, a sério!)



(Este eu já tinha ameaçado aqui que ia comprar... Told ya!)


(Editado pela primeira vez em 1979. 
Porque o de Setembro de 2011 parece uma boa bosta.)



(Obviamente antes de ver a saga em filmes. 
Que são os preferidos do Maridão. 
Que me mata se eu me sentir desiludida depois...)


E como se não bastasse, ontem fui ao Continente comprar comida (imagine-se!) e trago mais este:



Internem-me, que eu preciso de uma desintoxicação!!!

Raio de vício!

Já toda a gente aqui sabe do meu vício. E também sabe que é um vício caro. :(
Como qualquer viciado(a), não sei quando parar. Por isso, se não me dou duas estaladas e digo de mim para mim "Pára lá com isso e vamos embora!", deixo o ordenado na livraria...

Foi basicamente o que aconteceu anteontem. Saí das aulas ao final da tarde e apeteceu-me dar uma volta pelo centro comercial antes de vir para casa, pois queria espairecer a cabeça (que isto de aturar as criaturas a tarde toda é dose!). Queria sobretudo dar uma vista de olhos na nova loja, como vos disse aqui

Sucede que, ao vir do parque de estacionamento para cima, deparo-me de frente com o meu local proibido: a malfadada livraria. Nem pensei duas vezes. "Ah e tal, vou só dar uma vista de olhos". Conversa de "agarrado(a)".
Entrei e comecei logo a sentir aquela comichão típica de um consumidor de heroína que acaba de vislumbrar um pacotinho de 2 gramas de "castanha". "Ena! Tanta coisa fixe. Este era porreiro para levar. Este também. E este! Oh, pá! Eu queria tanto este!". And so on, and so on...

Era ver-me a percorrer a loja toda, de trás para a frente (sim, que eu não sou esquisita e leio livros de todas as secções), com um monte de livros nos braços e a pegar em mais, mais, mais... Brincando, brincando, estive nesta doideira cerca de 1 hora e meia (no mínimo!). Chegou a um ponto em que tive que me sentar num daqueles sofás que lá têm, não para ler um bocadinho, mas para fazer contas à vida. E tive este diálogo interno:

Eu anjinho: Não posso levar isto tudo!
Eu diabinho: Ai, podes, podes! Fogo, tudo livros MUITO FIXES!
Eu anjinho: Mas isto está aqui muito dinheiro...
Eu diabinho: E depois? Nunca mais compraste nada para ti: nem roupa, nem sapatos, bijuteria ou maquilhagem.
Eu anjinho: Posso levar metade agora e metade no próximo mês.
Eu diabinho: Tens o dinheiro agora. É melhor levares tudo porque pode esgotar até ao mês que vem.
Eu anjinho (quase, quase convencido): Realmente, não sei porque não me hei-de mimar... Farto-me de trabalhar!
Eu diabinho (a esfregar as mãos de contente): Isso, isso! Leva-os lá! Tu mereces e além disso não estás propriamente a gastar o dinheiro em futilidades.
Eu anjinho (lutando para conseguir largá-los em cima da mesa, já a transpirar e com tremores): Pronto. Estes todos vão. Mas estes dois ficam. Um dia destes, mais tarde, hei-de vir cá buscá-los...

Dirigi-me para o caixa e paguei. 
Dor de barriga por causa da conta. Sorriso rasgado pelo prazer de carregar um saco cheio. :)))



Das obras

Merda de telhado!
Merda para o facto de, para arranjá-lo, os mestres terem que entrar e sair pela minha casa, por sermos o último andar.
Merda para o barulho que fazem (isto é que são telhas a rolar por aqui abaixo!). Parece que tenho elefantes a correr por cima da minha sala.
Merda para o facto de eu detestar barulho!
Merda para o facto de eu não poder sair de casa para ficar a fazer de "babysitter" aos mestres (não os quero a entrar e sair daqui ao "Deus-dará").
Merda para as dores de cabeça que já sei que terei daqui a poucas horas...

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Hum?

Eu já nem sei a quantas ando... que dia é hoje... o que é que comi ontem.
Estou a morrer em pé... de sono.
E daqui a 1 hora lá vou eu dar formação outra vez.
Isto de chegar a casa pelas 23h30 está a fazer de mim um zombie. :P

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

A Casa dos Degredos


Eu admiro mesmo a inteligência desta gente...


Eu confesso

Sou fã do Harry Potter.
Pronto, já disse.



Sou uma nerd assumida!

Eu não sou funcionária pública, mas...

.. concordo em pleno e em diversas conversas já tinha usado estes mesmos argumentos a respeito dos cortes salariais.
Nota: Os sublinhados e pontos de exclamação não são da minha autoria.

Febre...

... de compras!!! 

Ando um bocado "bicho-de-buraco". Tem sido "casa-empresa-escritório-tribunal-escritório-formação-casa". 

Mas ontem disseram-me que abriu uma lojinha nova aqui em PDL. Nem mais, nem menos do que a Claire's!
Do you know what that means? Estou inquieta para lá ir (eu e mais 1000 Marias desta terra)!!!
Agora vou ficar a pensar em todas as coisinhas maravilhosas que lá devem ter e ficar em pulgas para ir gastar dinheiro (que não posso!).


Coisa de gajas. Ninguém nos compreende.

PQP

Deiximbranco

Isto não é ouvir mal... é não bater bem da bola!



Sei também de uma Senhora, assistente administrativa de uma instituição de saúde, que pediu a morada ao utente que estava a atender, de forma a preencher a respectiva ficha de dados pessoais. Mais tarde, foi-se a ver que, no campo "morada" da dita ficha, ela tinha lá escrito "Rua bato no meu quintal". O utente residia na Rua Bartolomeu Quental... História verídica!


sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Brrrrrr...

Está um frio do caraças!
Bom, bom, só deitada no sofá, enrolada num mega-cobertor (e no marido também) a ver isto:




Esqueci-me

Mas o Maridão não!

Chegou-me a casa com isto nas mãos:





São 14 rosas (iguais às do meu bouquet), a simbolizar os 14 meses de casamento que celebramos hoje.
É ou não é insubstituível? Eu não o trocava por nada (o marido, claro)!

E ainda dizem que as mulheres são umas sentimentalistas e que os homens esquecem-se sempre destas datas...

Domestiquices

Sou uma cusca por natureza e, como tal, navego por esta internet fora que nem uma louca, a ler de tudo, sobre os assuntos mais estapafúrdios que possam imaginar.

Uma coisa que está muito na moda (e de que eu até gosto, pela sua utilidade, confesso) são os blogs de economia doméstica, onde se fala de formas de poupar, criar orçamentos familiares, limpar e organizar a casa, etc. Por isso, quando recebi este e-mail achei que tinha tudo a ver com esses blogs e o curioso é que já li tantos, mas nenhum tinha esta dica...

Posto isto, decidi dar o meu contributo à blogosfera, mais concretamente à "secção" de economia doméstica e partilhar este truque que achei muito engraçado. Admito que já "construí o aparelhómetro", mas ainda não o utilizei, por isso não sei dizer se funciona na perfeição, com algumas falhas, ou se não funciona, de todo.


Como fechar sacos 
reciclando tampas de garrafas de plástico

1. Corte logo abaixo do gargalo.




2. Passe o saco de plástico por dentro do gargalo cortado e feche.





3. Terá os seus alimentos perfeitamente selados e acondicionados.


Se não gostarem da ideia, façam como a minha querida amiga B. diz: esqueçam que este bocadinho de vida aconteceu.... :P


quinta-feira, 3 de novembro de 2011

A confissão

Eu: "Então o seu anterior advogado disse-me que o Sr. iria confessar, não é assim?"
Ele: "Eu nem sei porque estou aqui."
Eu: (a ver a minha vida a andar para trás porque havia 61 testemunhas para ouvir) "Está aqui por causa da morte daquele senhor, o X, não se recorda?"
Ele: "Ah, sim! Mas eu não tive nada a ver com isso."
Eu: "Mas olhe: se disser a verdade, só beneficiará com isso. Os juízes vão ter a sua postura de colaboração em consideração e atenuar-lhe a pena..."
Ele: (com uma voz arrastada e sem uma pinga de convicção) "Mas eu não vou confessar uma coisa que eu não fiz."
Eu: "Veja lá. Eu aqui sou sua advogada. Estou cá para o defender. Isto funciona como com os padres: aquilo que o Sr. me contar fica só entre nós. Eu só preciso saber se foi o senhor que o matou ou não. Nem quero saber os motivos. É que veja: nós não temos qualquer tipo de defesa; ninguém que o ponha, naquele dia e naquela hora, noutro local... E eles têm provas... impressões digitais... está a ver?"
Ele: (hesitante) "Pronto, fui eu. Mas não sei de anel nenhum."
Eu: (já irritada) "Oh, Sr.! Niguém quer saber de anel nenhum! Então o Sr. deu com o barrote na cabeça do homem ou não? É só isso que está aqui em questão."
Ele: "Sim, dei. E ele ficou caído lá no chão. E depois fui-me embora."
Eu: "Pronto, está a ver? Assim é melhor. Conte tudo aos juízes! Assim como assim o Sr. já está a cumprir 25 anos por homicídio. A pena máxima em Portugal é de 25 anos. Pode apanhar mais 25 agora que não vai fazer diferença nenhuma, pois ao fim dos primeiros 25 sai. Se não for mais cedo, em liberdade condicional. Assim poupa-nos trabalho a todos e vamo-nos embora mais cedo."
Ele: "Sim senhora. Tem razão."

E confessou. E um julgamento que podia ter demorado 4 dias, demorou pouco mais de 1 hora.
Até custa dizer isto, mas em relação a este homem, tanto valia ter morto 1, 2 ou 20, que saía sempre ao fim dos 25 anos que já está a cumprir...

(imagem retirada da internet)

É f#%$&*#, mas é a justiça que temos.


quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Das certezas

Cinco dias. Cinco míseros dias. 
Foram o bastante para eu perceber que não me enganei ao escolher o meu parceiro para a vida. Hoje, tal como há 1 ano e dois meses atrás, sinto-me convicta de que sim, quero passar o resto dos meus dias ao lado deste homem.
Neste momento dorme a meu lado, emana aquele seu calor tão característico, sinto o seu respirar e posso tocá-lo... senti-lo... abraçá-lo... fazer-lhe festinhas no cabelo (que ele tanto adora!)... 
Não reside em mim um pingo de dúvida: AMO-O e foi-me concedido o milagre de encontrar a minha outra metade!


Ainda sobre a Aurea

Para os que são fãs, fica aqui um cheirinho do concerto de sexta-feira.

video


video

A imagem não está grande coisa, mas acho que a nível de som até não ficou mal (usei o telemóvel). Pelo menos percebe-se que, mesmo ao vivo, a rapariga tem uma voz potente. Aqui entre nós e dentro daquele estilo jazz/blues, acho que não fica nada atrás da Joss Stone, por exemplo. Mas esta é só a minha opinião.



Chegou!!!

Esta noite durmo quentinha! :)


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...